Ínicio ---ee--- O Projecto ---ee--- Metodologia ---ee--- Área de intervenção ---ee--- Ameaças ---ee--- Parceiros e Apoios
Conservação da Gralha-de-bico-vermelho na Serra dos Candeeiros PDF Imprimir

A gralha-de-bico-vermelho é uma ave com distribuição ampla na Europa, Ásia Central, Marrocos, Argélia e Etiópia. A população europeia, apesar possuir populações fragmentadas, está estimada entre 16 000 e 72 000 casais. A forte regressão a nível nacional e internacional, levou à sua inclusão na lista do Anexo I da Directiva Aves (79/409/CEE, alterada pela Directiva 85/411/CEE), a qual é destinada às espécies de aves de interesse comunitário cuja conservação requer a designação de zonas de protecção especial. A publicação do Livro Vermelho dos Vertebrados tem vindo a reflectir a regressão na distribuição da espécie, que de acordo com as categorias da UICN, em 1990 atribuiu-se-lhe o estatuto de “Vulnerável” e em 2006 a espécie passou a inscrever-se na categoria de “Em Perigo”. Uma estimativa fiável de 2007 apontava para a existência de 700 a 1000 indivíduos e de 140 a 285 casais reprodutores. As causas apontadas para a regressão da espécie parecem estar ligadas ao abandono do pastoreio extensivo e da agricultura tradicional, com a consequente desenvolvimento dos estratos herbéceos e arbustivos, à intensificação da agricultura associada ao uso de agro-químicos. Existe também a hipótese de haver alterações ao nível do sucesso reprodutivo da espécie que podem potenciar o seu declínio no médio longo prazo.


Foto: Luís Ferreira

Conscientes da situação pouco favorável, em que se encontra a espécie, a Quercus, com apoio da Vodafone Portugal, iniciou em 2008 o projecto de “Conservação da Gralha-de-bico-vermelho na Serra dos Candeeiros” no âmbito do programa “Criar Bosques, Conservar a Biodiversidade 2008-2012”. O objectivo do projecto consiste em conservar a gralha-de-bico-vermelho (Pyrrhocorax pyrrhocorax) na serra dos Candeeiros, com recurso à manutenção e incremento de áreas de pastagens extensivas para o pastoreio de gado caprino, com condicionamento do encabeçamento, que se traduzam na melhoria do habitat de alimentação da espécie. Pretende-se igualmente fomentar actividades económicas que criem dinâmicas de desenvolvimento local ligadas aos produtos tradicionais e ao turismo de natureza. Este projecto tem a duração de cinco anos (2008-2012).